Image Map

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Onze homens e um segredo (1960)


Gastei alguns bons minutos hoje para lembrar algum filme que tivesse a temática do ano novo envolvido, e nada muito claro surgia; eu simplesmente não conseguia. Até acreditava não ter visto nenhum que fosse relacionado ao tema - quando tentamos fazer coisas desse tipo, aí sim que as ideias não vêm. Logo, lembrei de um dos meus filmes favoritos: Onze homens e um segredo (Ocean's Eleven), de 1960, que trazia no elenco nada mais, nada menos do que o famoso Rat Pack. 

Rat Pack - que diabos é isso? Onze homens e um segredo sem Brad Pitt - isso existe? E o que isso tudo tem a ver com o ano novo? Desvendaremos esses mistérios nesse post.

Me deixa um pouco triste que pouca gente saiba que Onze homens e um segredo é, na verdade, um remake desse clássico de 1960, que fez um sucesso estrondoso, por conta de seu elenco, que trazia nomes como Frank Sinatra, Dean Martin, Sammy Davis Jr., Peter Lawford e Joey Bishop. Juntos, eles formava o Rat Pack, um grupo que dominava Vegas com seus shows, gravava álbuns e, recentemente, tinha começado a testar esse sucesso em Hollywood. O auge do grupo foi, exatamente, com Ocean's 11. Eles estiveram envolvidos em muitos escândalos, sobretudo Sinatra, o queridinho da máfia, e Peter Lawford, que era cunhado de John F. Kennedy. Mas esses baphos merecem um post próprio, coisa pra 2014.

Sinatra, Dino, Sammy,  Lawford e Bishop: a formação original do Rat Pack.
Nesse filme de 1960, Frank Sinatra é Danny Ocean, que lidera um grupo de veteranos da Segunda Guerra e com eles cria um plano aparentemente sem possibilidade de falhas: assaltar ao mesmo tempo os cinco maiores cassinos de Las Vegas no momento exato da virada do ano. O grupo de Ocean tem a vantagem de ter como seus integrantes onze homens que contribuirão para o plano com alguma habilidade específica em cada um. Dentre eles, o cantor Sam (Dean Martin), o boa-vida Jimmy (Lawford) e o dono de caminhões de lixo Josh (Sammy Davis Jr.). O plano parece perfeito, o roubo dá certo, mas o grupo se defronta com dois grandes problemas: um de seus integrantes sofre um ataque cardíaco durante a ação e morre, e eles simplesmente não conseguem achar uma maneira de tirar o dinheiro da cidade. Será que eles conseguirão?


Ocean's 11 debocha de seus protagonistas - era mais uma diversão entre amigos do que um filme, e deu certo. Cada um dos atores do Rat Pack faz uma espécie de paródia de si mesmo; há piadas impoliticamente corretas, como era de praxe, com Sammy Davis Jr., e o fato de ele ser negro - coisa que não o ofendia. Era a maneira que eles tratavam entre si (homens!). Além disso, duas atrizes se destacam no filme. Uma delas é Angie Dickinson, que interpreta Beatrice, a esposa de Danny Ocean. Outra é Shirley MacLaine, que não foi nem creditada no filme, pois faz apenas uma ponta, como uma garota bêbada em um dos cassinos, que passa todo o tempo dando em cima de Sam. Shirley era uma espécie de 6º membro do Rat Pack, estando sempre envolvida com seus integrantes. Sua ponta no filme é uma prova disso, e também outra piada: todos sabiam que, fora das telas, MacLaine era completamente apaixonada por Dean Martin - que apesar de casado, era um grande mulherengo, como praticamente todos em Hollywood na época.

O filme é divertido, e nos faz torcer o tempo todo pelos ladrões, é óbvio. Eu ainda não vi a versão atual só de birra, pois detesto remakes, e para mim, o Rat Pack é sagrado. Portanto, não posso fazer comparações. Mas esse clássico, um dos maiores sucessos da década de 1960, merece ser visto e ter reconhecido o seu devido valor. É Sinatra, Martin, Sammy, Bishop, Lawford, é Rat Pack, é Ano Novo!

A propósito, feliz ano novo para todos os leitores do Cine Espresso! Que 2014 traga muita felicidade e bons filmes - que, pensando bem, é sinônimo de felicidade, não é mesmo?

E como presente, abaixo tem os links - os dois testados e funcionando perfeitamente bem - para que você também possa assistir Sinatra & Cia aprontando altas confusões na Sessão da Tarde em Vegas.



Publicado por Camila Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário